Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Grandes Sons

Um pouco de música todos os dias. Ao vivo, em vídeo, discos, singles, notícias, fotos. Tudo à volta do rock e derivados.

Grandes Sons

Sérgio Godinho edita “Nação Valente”

sergio godinho.png

 “Nação Valente”, o novo disco de Sérgio Godinho, já está disponível nas lojas e em todas as plataformas digitais. Tratado como um acontecimento na música portuguesa, este é o primeiro álbum de originais do “escritor de canções” em sete anos.

Dez crónicas do nosso dia a dia, uma coleção de canções, todas elas recebidas pelos media com pompa e circunstância, com o valor que lhes é totalmente merecido.

Para ouvir aqui:

Festival Novos Talentos Fnac 2013

No Dia Europeu da Música, que se celebra esta sexta-feira, 21 de Junho, a FNAC promove o Festival Novos Talentos FNAC Música, no Cinema São Jorge, em Lisboa. A noite é dedicada à música com 12 bandas, a troco de um bilhetes de €4. O festival tem um cartaz constituído exclusivamente por projectos presentes nas edições do CD Novos Talentos FNAC, e pretende promover os novos valores da música portuguesa e a defesa da música em Portugal.

 

Programa:

Sala 1:
Samuel Úria
Mazgani
Tape Junk
Brass Wires Orchestra

Sala 2:
Nice Weather For Ducks
First Breath After Coma
Ermo
Quelle Dead Gazelle

Café concerto:
Little Friend
Coelho Radioactivo
Colibri
Ana Cláudia

Artistas reuniram-se para debater pirataria e tentar alterar a lei

Pela primeira vez em Portugal, mais de meia centena de artistas portugueses reuniram-se ontem no Teatro Maria Matos, em Lisboa, para discutir a pirataria de música na Internet. A iniciativa visa "alterar" a actual lei, com o director geral da Associação Fonográfica Portuguesa (AFP), Eduardo Simões, a considerar que "a legislação portuguesa pura e simplesmente não é respeitada" e que "a máquina judicial em relação aos problemas [da] Internet não funciona".

"É necessário outro enquadramento para esta matéria", indicou ainda o responsável aos jornalistas no final da reunião, que decorreu à porta fechada, Eduardo Simões, director geral da Associação Fonográfica Portuguesa (AFP), disse que do encontro saiu "a certeza de que há um problema enorme que é preciso resolver em relação à música portuguesa", um assunto em relação ao qual "muita gente tem uma opinião comum".

O director-geral da AFP disse que "é muito cedo para tirar conclusões", porque "foi o primeiro encontro deste género em Portugal". No entanto, sublinhou que "há um trabalho que já está iniciado e que vai continuar nas próximas semanas", remetendo para mais tarde a divulgação das iniciativas dos artistas em matéria de downloads ilegais de música.

"Há aqui uma série de pessoas interessadas em tratar deste problema e sabemos que as coisas não podem continuar como têm estado até aqui", reiterou.

Também o músico João Gil, que esteve na reunião, reconheceu que "há situações por definir" mas também que "há uma grande vontade em conseguir uma linguagem única". E exemplificou: "As pessoas não vão ao supermercado e trazem uma laranja ou banana na mão e assim não deve ser em relação à música."

João Gil sublinhou que esta não é uma luta para se fazer "com o cassetete na mão". "Cada um de nós é um comício, todos juntos seremos um comício muito grande. Lutámos e conseguimos alterar a Lei da Rádio", para que a música portuguesa tivesse mais expressão nas rádios, exemplificou.

Agora, defende o artista, "chegou o momento de alargar esta questão à Internet", mas "com bom senso, não com o cassetete na mão". João Gil apelou à mobilização dos artistas e da sociedade, "lutando por uma nova mentalidade, porque se trata de uma usurpação".

Entre os artistas que ontem estiveram na reunião que durou mais de duas horas no Teatro Maria Matos estiveram ainda Rita Red Shoes, João Pedro Pais, Jel, Miguel Ângelo, Nuno da Câmara Pereira, David Fonseca, Camané, entre outros.
n


Lusa

ENCICLOPEDIA MUSICA PORTUGAL

 

Arrisco a dizer que é a grande edição do ano em Portugal. Fabuloso trabalho de pesquisa que engrandece a cultura musical portuguesa que tanto precisa de documentos deste calibre. É uma obra essencial para qualquer pessoa que se interesse por música e tanto pode ser uma ferramenta de trabalho como de puro entretimento, basta abrir uma página ao acaso e enriquecer o nosso conhecimento ao nível de bandas, artistas, figuras, instrumentos, objectos, tudo o que se pode querer saber sobre a nossa música.

 

 

Música é vivência. Encontro de gentes e tribos, mistura de antigo e profano, sempre em mutação e redescoberta de novas fronteiras. Em busca do século XX português, uma equipa de especialistas em Etnomusicologia fez uma inédita recolha das bandas, etiquetas, instrumentos, estilos, intérpretes, músicos e compositores que marcaram todo um tempo e forma de estar.

 

Sob a direcção científica de Salwa el-Shawan Castelo-Branco, esta é a primeira obra a reunir todo o século XX português de forma tão completa e apurada. Da definição de kizomba ao jazz, do fado à pop, do popular ao erudito, pode encontrar nesta enciclopédia toda a informação existente de forma sistematizada. Mais de 1250 entradas 10 anos de pesquisa e investigação Inédita, actual

 

Toda a informação sobre a música em Portugal do séc. XX, numa abordagem multidisciplinar do fenómeno musical. Rigorosa Uma equipa de especialistas do Instituto de Etnomusicologia da Universidade Nova de Lisboa desenvolveu - ao longo de uma década – todo um apurado trabalho de pesquisa, investigação e recolha de informação sobre o fenómeno musical em Portugal. Equipa liderada por Salwa el-Shawan Castelo-Branco, professora catedrática, doutorada em Ciências Musicais pela Universidade de Columbia.

Completa Termos e Instrumentos Musicais Bandas, Grupos, Orquestras Intérpretes, Cantores, Músicos e Compositores Géneros e Subgéneros A Arte Musical (ligação à dança, teatro, cinema, produtoras, empresas...) Entradas de personalidades incluem discografia, biografia e autorias Índice temático e onomástico

 

 

 

«...uma autêntica arca de Noé musical do séc. XX.»

«Diário de Notícias»

 

«A Enciclopédia da Música em Portugal no Século XX ilumina a música portuguesa (toda, da popular à erudita) como nunca antes se tinha visto.» «Expresso»

 

«...corajosa edição.» Revista LER

 


 

Colecção
ENCICLOPEDIA MUSICA PORTUGAL
Autor:Salwa Castelo Branco
Disponibilidade: Em Stock.
Condições de subscrição:

4 Volumes  - 29,90€ cada
1 volume por revista, no valor total de 119,60€
Oferta de 2 CD

Preço Círculo: € 29,90

GNR substituem Xutos & Pontapés na passagem de ano em Lisboa

Os GNR substituem os Xutos & Pontapés no concerto de fim de ano que o município lisboeta promove em Belém, devido a problemas de saúde do guitarrista Zé Pedro, anunciou o director da EGEAC à Lusa.

Miguel Honrado, responsável da empresa municipal, revelou que os GNR já confirmaram a presença no concerto de quinta-feira.

O guitarrista Zé Pedro está internado num estabelecimento hospitalar do centro do país, em situação estável, depois de "uma hemorragia digestiva alta", informou a assessoria de imprensa dos Xutos & Pontapés.

O guitarrista viajava do Porto para Lisboa quando sofreu a hemorragia e foi conduzido à urgência hospitalar, onde foi assistido e se encontra a recuperar.

A festa começa pelas 22h00 e terá um espectáculo de fogo-de-artifício à meia-noite.

Os primeiros a subir ao palco são os Get Back The Beatles Tribute, um grupo constituído por Filipe Fontenelle, Luís Bento, Miguel Andrade e Tomás de Deus, que recria músicas dos Fab Four.n

O Museu Boom do Rock Português de António Cardoso



António Cardoso
é "Historiador de Arte nas horas mais preenchidas, designer nas demais e, nas que mais importam, homem de família." Mas o que merece grande destaque neste espaço é o projecto online a que chamou de "O Meu Museu do Boom do Rock Português".
Um espaço de interesse enorme onde se podem encontrar uma secção permanente onde se expõem LPs com as respectivas fichas, mas também singles.
Outras secções temporárias (destaque, extra-boom, recortes, lá fora), um glossário, bibliografia, links, bem como uma história breve do acontecimento, completam o edifício museológico.

Para descobrir e marcar nos favoritos: http://museuboom.no.sapo.pt/intro.html

José Mário, Fausto e Sérgio "enfim juntos" em palco

A ideia é antiga mas não tinha sido concretizada. José Mário Branco, Fausto Bordalo Dias e Sérgio Godinho estão a preparar um espectáculo conjunto, para estrear em finais de Outubro, a que foi dado o título Três Cantos e o subtítulo Enfim Juntos. Um e outro resumem o que pode dizer-se desta reunião inédita. O primeiro fixa a diferença e a singularidade dos três cantores e compositores, há mais de três décadas com carreiras e estilos bem definidos no contexto da chamada música popular portuguesa; o segundo dá conta da novidade que é juntarem-se para construir um espectáculo a três vozes.

Não é a primeira vez que os três se cruzam em palcos. Em 1974, logo a seguir ao 25 de Abril, com José Mário Branco e Sérgio Godinho recém-chegados do exílio e Fausto prestes a lançar o seu segundo álbum, que começara a gravar em Madrid, fizeram os três parte do Colectivo de Acção Popular, criado na madrugada de 1 de Maio, que pretendia "pôr a actividade musical" ao serviço das enormes transformações sociais e políticas que começavam nesse mês em Portugal. Nesse período, houve vários concertos em que, com José Afonso e Adriano Correia de Oliveira, entre muitos outros (como José Jorge Letria ou Manuel Freire), subiram ao palco para cantar canções mobilizadoras.

Nos anos que se seguiram, cada um foi cimentando uma via muito própria para a sua música, a partir de uma mesma matriz popular e moderna: José Mário Branco explorando as potencialidades das contribuições corais e até sinfónicas, Fausto Bordalo Dias inovando na utilização do riquíssimo património da música de raiz tradicional e Sérgio Godinho aprofundando a ligação entre a música portuguesa e o universo do rock e da pop.

CD e DVD ao vivo

Mais recentemente, no disco O Irmão do Meio, de Sérgio Godinho, José Mário Branco fez com ele um dueto em Que força é essa. Isso foi em 2003. Em 2004, foi a vez de José Mário Branco convidar Fausto e Sérgio para duetos em canções do seu disco Resistir é Vencer, Fausto no Canto dos torna-viagem e Sérgio em Pão-pão. A participação estendeu-se também aos concertos de apresentação ao vivo do disco, Fausto em Lisboa e Sérgio no Porto.

Agora, concretizando uma ideia que vem já desses anos, os três estão a trabalhar em conjunto, com maior intensidade desde Abril passado, para um espectáculo que não pretende ser uma mera soma de partes. Em palco, deverão apresentar-se os três juntos, com um grupo de músicos ainda não revelado ou só com as suas guitarras, mas também em duo e a solo, cantando músicas próprias ou dos restantes parceiros. Ou talvez algum tema inédito, fruto deste trabalho conjunto que será gravado para editar em CD e DVD.

Os concertos Três Cantos, só hoje anunciados pela Vachier & Associados, que os promove, como "um encontro histórico" entre três "referências não só musicais mas também poéticas do que é cantar em português", estão marcados para o Campo Pequeno, em Lisboa, a 22 de Outubro, e para o Coliseu do Porto, a 31 desse mesmo mês. Os bilhetes, segundo a mesma fonte, serão postos à venda já no dia 13 de Agosto, "nos locais habituais".

Notícia do Público

Mapa Etno-Musical de Portugal


Ver o Mapa ao pormenor

Com o apoio do Instituto Camões, é apresentado hoje, às 20h30 - inserido na programação do World Music Festival LX’09, na Ler Devagar, no espaço da LX Factory, o Mapa Etno-Musical de Portugal. Conhecida há muito uma primeira versão, desde sempre exposta no sítio on-line de Júlio Pereira, o mapa ganhou agora uma interessante versão multimédia e interactiva - para além de uma versão física.

Da autoria de Júlio Pereira, com a colaboração do historiador e produtor João Luís Oliva, responsável pelos textos, e com o grafismo de Sara Nobre, o Mapa Etno-Musical de Portugal é uma interessante viagem pelo Portugal musical, pelas suas tradições e pelos seus elementos etno-musicais - com texto, som e imagem. Excelente.

O mapa está disponível no Centro Virtual Camões.

fonte: a trompa

João Paulo toca Carlos Bica, Culturgest

Elogiar um amigo poderá parecer algo demasiado óbvio e de pouco interesse.
No entanto é impossível falar sobre o João Paulo sem lhe tecer elogios.
João Paulo é, na minha opinião, o músico referência no panorama da música
improvisada feita em Portugal. Apesar do mercado exigir que um músico traga
sempre consigo, e de preferência em letras bem legíveis, um rótulo musical,
ele recusa-se a fazê-lo, ou melhor, são os rótulos que se afastam dele por
ser demasiado honesto. Músico dono de uma mestria de instrumento e de uma
musicalidade genial raras, João Paulo é muito mais do que apenas um
excelente pianista, ele é um músico capaz de criar do momento, do agora.
Carlos Bica

João Paulo interpretou, recriou e inventou as composições de Carlos Bica. Um
espectáculo único de uma profunda cumplicidade artística.

João Paulo toca Carlos Bica
Hoje, Lisboa, Cultugest, 21h30

http://www.carlosbica.com
http://www.culturgest.pt

redes sociais

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

grandes sons de 2017

Mais sobre mim

foto do autor

Links

actualize-se

Festivais

  •  
  • sirva-se

  •  
  • blogues da vizinhança

  •  
  • músicas do mundo

  •  
  • recordar João Aguardela

  •  
  • ao vivo

  •  
  • lojas

  •  
  • Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2015
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2014
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2013
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2012
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2011
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2010
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2009
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2008
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2007
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2006
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D