Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Grandes Sons

Um pouco de música todos os dias. Ao vivo, em vídeo, discos, singles, notícias, fotos. Tudo à volta do rock e derivados.

Grandes Sons

NOS Discos: ANA CLÁUDIA, KEEP RAZORS SHARP e STEREOSSAURO Hoje disponíveis

Ana Cláudia

Um ano depois de ter integrado a colectânea Novos Talentos Fnac, a Ana Cláudia estreia-se em nome próprio, pela NOS Discos, com “De Outono”. No texto de apresentação, Pedro de Tróia adianta que “a doce voz da Ana Cláudia é o baloiço de madeira em canções de qualidade ímpar com letras de quem não finge sentir” e que estamos perante “o disco pop mais certeiro que uma voz feminina ameaça lançar desde o princípio da década de noventa. Esta é uma entrada a pés juntos no panorama musical português. O que faz falta já não é animar a malta. O que faz falta são os discos únicos. E, em passo calmo, é isso que a vertiginosa Ana acaba de conseguir. Sorrindo, pode esperar de si tudo o que bem quiser ser. Ouvimos e tombamos de uma pequena árvore como uma folha de Outono que voa, levanta, poisa, levanta, esvoaça, voa, sobe e sobe, torna a poisar. Podem as gentes insensíveis tentar calcá-la mas será para sempre o que foi: a mais bonita folha de Outono a rodar como um pião no coração.” Segundo Ben Monteiro (responsável pela produção, gravação e mistura do disco), “De Outono” representa "uma mistura de pop alternativa, electrónica, bass music, jazz e mpb, tudo num português que nunca soou tão doce, transportado por uma voz de veludo única."

Keep Razors Sharp

Keep Razors Sharp são Afonso (Sean Riley & The Slowriders), Rai (The Poppers), Bráulio (ex-Capitão Fantasma) e Bibi (Pernas de Alicate), uma banda de amigos que começaram a frequentar a sala de ensaios nos intervalos das saídas à noite. O percurso iniciou-se naturalmente e as músicas foram surgindo sob a premissa de nunca se prenderem a estilos ou limitações estéticas. “Keep Razors Sharp” foi composto e gravado durante os últimos seis meses em três sessões de estúdio espalhadas no tempo e de espírito tão livre quanto a composição. O resultado é um disco no qual a visão da banda, ao nível de som e espaço, foi enriquecida pelas várias contribuições ao longo do processo de gravação e mistura. A parte visual de “Keep Razors Sharp” foi desenvolvida pela ilustradora Sara Feio que criou de raiz uma imagem com enfoque na dicotomia presa/ predador, temática amplamente explorada - sob diversas formas - na componente lírica das canções. Keep Razors Sharp é uma viagem que em tudo reflecte paixão. Por vezes resultado directo da sua vivência, outras espelhando a sua ausência, mas sempre intensa e nunca indiferente. 


Stereossauro

Com um background em Artes Plásticas e formado em Design, faz já algum tempo que Stereossauro trocou os lápis da Escola Superior de Artes e Design pelo sintetizador e pelo gira-discos, dividindo-se entre o DJing e a produção. Nome regular na programação de clubes e festivais, sagrou-se campeão do mundo de scratch, em 2011, com os Beatbombers, projecto que partilha com DJ Ride. Nos últimos anos produziu temas originais para compilações, remisturas e sonoplastias, e em 2014 edita, finalmente, o seu 1º álbum de originais com o selo NOS Discos. “Bombas em Bombos” é uma metáfora que representa a pesquisa de samples de naturezas diferentes, o método inerente à "escola" de produção de hip-hop e que define o percurso de Stereossauro. A vontade de pegar nesses "bombos", e transformá-los em algo novo e personalizado, reflecte a procura e a necessidade de encontrar a eterna “batida perfeita". Neste disco, Stereossauro convocou amigos que o ajudaram a concretizar um vitral único na sua obra. “Bombas em Bombos” foi ponto de encontro para Dealema, Razat, DJ Ride, Helena Veludo, Mr. KoochiBass, Skillaz , Xeg e Ricardo Gordo. Do rap ao indie rock, do moog à guitarra portuguesa, todos trouxeram os seus talentos e sonoridades a este surpreendente disco.

redes sociais

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre mim

foto do autor

Links

actualize-se

Festivais

  •  
  • sirva-se

  •  
  • blogues da vizinhança

  •  
  • músicas do mundo

  •  
  • recordar João Aguardela

  •  
  • ao vivo

  •  
  • lojas

  •  
  • Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2015
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2014
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2013
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2012
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2011
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2010
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2009
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2008
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2007
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2006
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D