Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Grandes Sons

Um pouco de música todos os dias. Ao vivo, em vídeo, discos, singles, notícias, fotos. Tudo à volta do rock e derivados.

Grandes Sons

Festival Super Rock Super Bock (Dia 3): Prince foi Rei

6779303_hHoMI.jpg

 O fecho da 16ª edição do Festival Super Rock Super Bock será para sempre recordado como a noite em que Prince veio ao Meco tocar fado.

Costuma dizer-se que é preciso sofrer muito para depois sermos recompensados com uma alegria. Hoje foi preciso penar mais de duas horas no trânsito, desesperar por um lugar de estacionamento, respirar mais uns valentes quilos de pó e esperar pela meia noite para tudo fazer sentido. Aconteceu um daqueles momentos mágicos que será recordado com orgulho pelos milhares que presenciaram e ouvido com inveja por quem não esteve no Meco.

 

Prince tomou conta do palco principal com a sua vasta banda New Power Generation como se nada mais tivesse acontecido no Meco até ali. O verdadeiro artista não autorizou nenhuma captação de fotos ou vídeo alimentando o mito de lenda viva que justificou com uma actuação inesquecível. Entrou em tons funky desfilando sem pausas «Let's Go Crazy», «Delirious», «1999», «Lil Red Corvette», «Take me With U» e «Guitar». Curiosamente a multidão só reagiu em peso ao som de «Nothing Compares 2 U» que contou com ajuda de uma vocalista com o mesmo penteado que celebrizou Sinead O'Connor. Prince estava visivelmente bem disposto, insistiu em puxar por Portugal, dançou como só ele sabe, exibiu os seus solos na guitarra com orgulho e seguiu com «Cream» para euforia colectiva de quem esperava um dos clássicos para mostrar ao que vinha. Ao fim de 40 minutos de concerto a primeira saída de palco depois de «U Got the Look» e «Controversy». Prince trocou o branco com que se apresentou na primeira parte do concerto por um casaco amarelado com que introduziu a fadista sua amiga Ana Moura. De repente temos um improvável momento de fado com a voz de Ana Moura a ser acompanhada pela guitarra de Prince e um piano. E quando se canta em conjunto a plenos pulmões «Vou Dar de Beber À Dor» percebemos que estamos a fazer história!

 

Com as emoções ao alto chegam mais dois clássicos para manter a magia no ar ao som de «Kiss» e «Purple Rain» com isqueiros ao vento, telefones ligados para quem não lá estava, e coro à antiga. Seria um fim tão perfeito como doloroso porque ainda só tínhamos tido pouco mais de uma hora de Prince em palco. E depois de «Purple Rain» não pode entrar uma música qualquer. Para Prince isso não é problema e resolveu mesmo improvisar nova entrada em palco para um delírio disco sound bem recebido por todos que quiseram dar mais uns passos de dança.

 

Confirmou-se que foi uma passagem de curta duração pelo Meco mas intensa, mágica e mesmo histórica que imortalizará esta edição do festival.

Além de Prince temos que destacar mais um grande concerto que os The National assinaram em solo luso gerindo muito bem a maior enchente das 3 noites do Festival conquistando tudo e todos antes do grande momento. O outro momento mágico desta última noite aconteceu no palco secundário com o funk clássico e irresistível de Sharon Jones & Dap Kings (na foto acima) que arrasaram completamente tal como já o tinham feito há uns anos numa noite no Santiago Alquimista. A noite acabou com os Empire of the Sun a tocarem os dois êxitos que as rádios ajudaram a conhecer mas depois do verdadeiro artista já era música a mais.

 

jjoaomcgoncalves@gmail.com

 

 

os 3 textos de reportagem do festival SBSR são originalmente publicados no Disco Digital do Diário Digital

2 comentários

Comentar post

redes sociais

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre mim

foto do autor

Links

actualize-se

Festivais

  •  
  • sirva-se

  •  
  • blogues da vizinhança

  •  
  • músicas do mundo

  •  
  • recordar João Aguardela

  •  
  • ao vivo

  •  
  • lojas

  •  
  • Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2015
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2014
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2013
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2012
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2011
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2010
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2009
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2008
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2007
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2006
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D