Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Grandes Sons

Um pouco de música todos os dias. Ao vivo, em vídeo, discos, singles, notícias, fotos. Tudo à volta do rock e derivados.

Grandes Sons

Blues do Deserto Hoje no CCB

Noite de blues do deserto para ver e ouvir no Centro Cultural de Belém. É o regresso do excelente som dos tuaregues Tinariwen ao nosso país. Eles que assinaram um dos primeiros concertos acompanhados aqui no blogue no ano passado e que pode ser recordado aqui: Tinariwen @ Club Lua.
Além dos Tinariwen vamos poder ver Vieux Farka Touré que promete ser uma grande revelação no palco do CCB. Filho do mítico Ali Farka Touré, é com as guitarras eléctricas e acústicas que se destaca.
Um grande serão em perspectiva.

Kurt Wagner no Santiago Alquimista em Lisboa: Do Génio à Monotonia

Kurt Wagner regressou a Lisboa desta vez sozinho sem os restantes elementos dos Lambchop e encontrou uma sala bem composta de admiradores sentados e prontos para receber novas músicas, e clássicos despidos só apoiados na voz e guitarra. O que parecia ser uma boa ideia acabou por se arrastar para a monotonia de um concerto demasiado longo, e experimental.


Na véspera da visita a Lisboa, Kurt Wagner dizia ao Disco Digital: «Desta vez, sou só eu e a guitarra mas não me quero desligar dos Lambchop e aliás essas são as canções que vou interpretar. Acima de tudo, clássicos da banda. Espero que haja interacção com o público até porque a distância é menor. Quem sabe se não vou convidar alguém para me acompanhar em palco». Isto motivou os mais fiéis seguidores dos Lambchop que terão ficado algo desiludidos com o facto de terem ouvido poucos clássicos, muitos temas desconhecidos, e uma interacção fraca com o público.

Este foi o primeiro concerto neste formato a solo que Kurt deu na Europa, e ficou a ideia que serviu um pouco de experiência. Desfilou muitas canções novas, e não foi intercalando com temas esperados pela plateia que chegou a pedir as melhores músicas dos discos «Is a Woman», ou «Nixon», por exemplo.

O problema esteve na duração excessiva do concerto com um alinhamento mal pensado. Quase duas horas naquele registo torna-se cansativo para quem assiste, juntando o facto de estarmos a meio da semana de trabalho e Kurt só ter começado a tocar perto das 23h15. Acabou por ser a monotonia a vencer alguns momentos brilhantes que Kurt consegue arrancar.

Aliás, o vocalista dos Lambchop esteve impecável na comunicação, simpatia, e competência, acabando a noite a dar autógrafos na porta de saída do Santiago Alquimista.

Mas o que se pedia para uma noite destas era uma escolha mais selectiva dos temas a tocar, uma duração menos extensa, e mais intensidade. Assim tivemos o privilégio de assistir ao que será um ensaio de Kurt metido na solidão do seu quarto algures no outro lado do Atlântico enquanto fuma uns cigarros, e pendura as letras de cada canção que acaba de tocar num estendal improvisado à sua frente.

Privilégio interessante mas algo maçador.

Que regresse depressa com os Lambchop.

in
Disco Digiral

Hoje Kurt Wagner dos Lambchop no Santiago Alquimista

Logo à noite Kurt Wagner regressa aos concertos em Lisboa. Depois de passagens memoráveis pelas salas da Garetejo e Aula Magna, hoje Kurt apresenta-se sozinho com a sua guitarra no ambiente intimista do Santiago Alquimista.
Oportunidade a não perder para ouvir a beleza das canções dos Lambchop despidas de arranjos orquestrais. Para desfazer dúvidas deixo aqui extractos da entrevista que Wagner deu ao Disco Digital:

Vou a Lisboa apresentar as novas canções dos Lambchop que devem fazer parte de um álbum a editar, provavelmente, no próximo ano. Neste momento, não consigo dizer se são muito diferentes do resto do nosso percurso, se bem que nós temos coisas muito diferentes.


Não nos queremos repetir, por isso é que eu vim a solo. Apeteceu-me mas não estou a pensar continuar assim por muito tempo. É uma experiência nova na qual já tinha pensado há algum tempo mas que nunca se tinha concretizado. Desta vez, sou só eu e a guitarra mas não me quero desligar dos Lambchop e aliás essas são as canções que vou interpretar. Acima de tudo, clássicos da banda. Espero que haja interacção com o público até porque a distância é menor. Quem sabe se não vou convidar alguém para me acompanhar em palco.

Época Alta

Tomem nota dos próximos concertos a não perder. São 3 em 5 dias!
Amanhã temos Kurt Wagner, vocalista dos Lambchop, no Santiago Alquimista.
Sexta é o regresso dos Tinariwen desta vez acompanhados de Vieux Farka Touré para uma noite de blues do deserto no CCB.
E domingo, também no CCB, há concerto de David Sylvian.

Cool Train Crew - Compilação

Dez anos de actividades é um excelente pretexto para uma revisão da matéria dada, e para celebrar a existência de um colectivo de grande importância na área de dança em Portugal.
Já lá vai uma década desde que a Cool Train Crew apareceu com o propósito de divulgar um som mais próximo do drum & bass desviando atenções do house e tecno na altura no auge.
Começaram por ser vários DJs habituados aos espaços do Bairro Alto, desses só Johnny se mantém ao leme da Crew. Os outros destacam-se hoje nas suas opções; Tiago Miranda é DJ residente no Lux, é metade dos Dezperados, e membro dos Loosers. Nuno Rosa é outro Dezperados, e assina discos como Pink Boy. Dinis é um dos grandes DJ's de música de dança que pode ser ouvido no Lux, enquanto Rui Murka habita no Frágil e dedica-se a compilar temas remisturados por si com sucesso. Finalmente, temos Vítor Belanciano que assina das prosas mais respeitáveis na imprensa musical nas páginas do Público.
Todos eles contribuiram para a história da Cool Train Crew que por estes dias conta com Kalaf, Riot, Lil'John, os três com ligação comum nos Buraka Som Sistema, e Alx.
Actualmente o colectivo faz produção de concertos, com destaque para a vind dos 4 hero, ou Metalheadz, por exemplo, e também aposta na edição de discos com a Cool Train Records onde foi gravada a remistura de "Chiclete" dos Táxi.
É este, e outras remixes, que podemos encontrar neste disco de celebração de uma década de releituras a vários temas que vão dos Da Weasel, aos Blind Zero, passando pelos Blasted Mechanism.
Disponível a partir desta semana.

redes sociais

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre mim

foto do autor

Links

actualize-se

Festivais

  •  
  • sirva-se

  •  
  • blogues da vizinhança

  •  
  • músicas do mundo

  •  
  • recordar João Aguardela

  •  
  • ao vivo

  •  
  • lojas

  •  
  • Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2015
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2014
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2013
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2012
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2011
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2010
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2009
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2008
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2007
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2006
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D